• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quarta-feira, 9 de setembro de 2015

    Jogo zerado no Tribunal de Contas

    A renúncia do conselheiro Paulo Tadeu da relatoria das contas de 2014 é uma boa notícia para Agnelo Queiroz (PT) e pode ser uma chance para a reviravolta num julgamento que já estava perdido.
    Por mais que a ficha não tenha caído para o ex-governador, Paulo Tadeu não seria um aliado no plenário. Tocaria o julgamento baseado na dura argumentação dos auditores do Tribunal de Contas do DF.
    Ele não rejeitaria o estudo do corpo técnico. Depois disso, quem, em plenário, teria condições de votar a favor da gestão de Agnelo se nem mesmo um conselheiro nomeado por ele, que foi seu supersecretário e tem um vínculo antigo com o PT o defendesse?
    Zebra
    O novo relator das contas de Agnelo Queiroz, conselheiro Inácio Magalhães Filho foi um dos pivôs do rompimento entre Rogério Rosso e Tadeu Filippelli, que eram aliados no PMDB.
    No cargo de governador, eleito pela Câmara Legislativa com apoio de Filippelli, Rosso nomeou Inácio para o Tribunal de Contas do DF contra a vontade do então presidente do PMDB, da bancada do PT na Câmara Legislativa e de integrantes da Presidência da República que preferiam ver no cargo o procurador Demóstenes Três Albuquerque. Inácio foi a zebra na ocasião.

    Fonte: Ana Maria Campos – CB.Poder – Foto: Carlos Moura/CB/D.A.Press

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.