• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quarta-feira, 9 de setembro de 2015

    ORLA » Retomado trabalho de desocupação

    Barco foi apreendido por estar em área irregular e conter material de pesca

    Após cinco dias sem operações de retirada de cercas, agentes do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e da Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) retomaram, ontem, as ações em áreas irregulares no Lago Sul. Duas residências da QL 12 foram visitadas. Ao chegarem para trabalhar, os fiscais tiveram também uma surpresa: depararam-se com um buraco feito na grade de entrada do Parque Península Sul. Segundo moradores, visitantes usaram a abertura irregular para promover uma festa no lago.

    Pela manhã, as grades de uma casa, no Conjunto 16, acabaram retiradas com o auxílio de um trator. No terreno em espaço público, um píer tinha sido construído. À tarde, as equipes retornaram ao Conjunto 7, que foi visitado no início das operações, há 10 dias. Na época, algumas casas ficaram sem vistoria por não terem recebido a notificação a tempo. Porém, o prazo expirou e os agentes puderam retirar as cercas. Na residência fiscalizada, os agentes avaliaram que parte do terreno se encontrava na Área de Proteção de Permanente, além de ocupar espaço da poligonal do parque. Assim, a nova grade terá de ficar a 60m da margem.


    Agentes encontraram também outra irregularidade no local: um pequeno barco foi apreendido por conter aparatos de pesca. Segundo um agente do Ibram presente na ação, o fato de o barco conter esse tipo de equipamento e se encontrar em uma área de proteção permanente, onde é proibido pescar, configura crime ambiental. A embarcação foi levada para o pátio da instituição e o proprietário responderá pelo crime judicialmente.


    Invasores não se intimidaram com o cercamento do Parque da Península Sul, na QL 12, e invadiram a orla na segunda-feira, 7 de setembro. A entrada do local está fechada pelo Ibram enquanto as ações ocorrem no local, uma vez que ainda não há condições plenas de segurança para os usuários. “Várias pessoas trouxeram comida e bebida e deixaram um rastro de lixo no parque”, denunciou o vigilante Gil Rodrigues.


    Segundo informação do superintendente de Educação Ambiental do Ibram, Luiz Rios, que esteve na área durante o fim de semana, 12 pessoas invadiram o local. No momento, a equipe do órgão estava próxima ao Morro da Asa Delta. Ao chegarem ao Parque da Península, constataram que as pessoas cortaram as fitas de interdição e quebraram duas barras da grade. Os agentes conseguiram retirar os invasores, convencendo-os da necessidade da proibição da entrada para a conclusão dos trabalhos e para a própria segurança deles.


    Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e Paz Social do Distrito Federal afirmou que a Polícia Militar tem um plano de ação para intensificar as rondas na área desocupada da orla do Lago.



    Fonte:  João Gabriel Amador - Especial para o Correio Braziliense – Foto: Rodrigo Nunes/CB/D.A.Press 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.