• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 22 de outubro de 2015

    Brasília além da Esplanada: Turismo técnico recebe comitiva francesa

    Estrangeiros vieram conhecer de perto soluções urbanas sociais, como o Mangueiral, fruto de parceria público-privada

    O turismo na capital da República está muito além da Esplanada dos Ministérios e dos pontos mundialmente conhecidos. Pelo menos, é o que defende o grupo de 25 arquitetos franceses que aterrissou em Brasília na última quarta-feira (21). Com papel e caneta na mão, e máquinas fotográficas a tira colo, os visitantes associados da Federation Nationale des Societes Cooperativas D’HLM  (Federação Nacional de Cooperativas Sociais) tentaram fugir do tradicional roteiro dos monumentos assinados por Oscar Niemeyer. O objetivo de terem deixado a Europa foi outro: a busca de novas experiências arquitetônicas e soluções para a moradia a baixo custo final. E encontraram por aqui.

    Um dos pontos mais elogiados foi o complexo habitacional do Mangueiral, que surgiu a partir das chamadas Parcerias Público-Privada (PPP). “Isso aqui é urbanismo social”, comentou o incorporador Chabad Daniel ao conhecer o novo setor. Para ele, a criatividade em oferecer moradia de qualidade, a baixo custo, e quase sem onerar os cofres públicos chamou a atenção do grupo. “Realmente é um projeto muito interessante, em sua funcionalidade e na execução”, emendou.

    Mesmo em visita “meramente técnica”, o grupo francês não resistiu ao ser convidado para explorar a obra de Niemeyer e do urbanista Lucio Costa, que idealizou o planejamento de Brasília. Os arquitetos conheceram a Praça dos Três Poderes, a Catedral, Congresso Nacional, Igreja Dom Bosco e os hotéis à beira do Lago Paranoá.  “Brasília é uma marca internacional. As pessoas vêm espontaneamente pela arquitetura urbanística. É uma coisa única no mundo. Quem estuda arquitetura estuda Brasília”, lembrou outra integrante da comitiva, Yves-Marie da Le Logis Breton.

    A visita faz parte de uma nova modalidade defendida pela Secretaria de Turismo de Brasília, que tem atraído cada vez mais visitantes para o Planalto Central: o turismo técnico. Nessa categoria, estudiosos e pesquisadores saem de seus países de origem em busca de projetos que conquistaram êxitos, como foi o caso do Mangueiral. “Brasília é um verdadeiro viveiro de boas ideias, que integram a boa funcionalidade. Cada vez mais, conseguimos atrair grupos interessados em conhecer nossas peculiaridades”, explicou o secretário de Turismo, Jaime Recena.

    Ainda segundo ele, há inegável e importante atrativo para o turista percorrer o chamado “museu a céu aberto”. “Brasília surpreende não só os turistas que procuram história, civismo, arquitetura, lazer e cultura, mas também os que chegam ao Brasil em busca de algum estudo acadêmico ou profissional”, continua. A opinião foi compartilhada por Yves-Marie.  “Não tem como visitar Brasília e não se surpreender com a beleza da arquitetura muito bem distribuída em área plana, que integra o belo artificial com o belo essencialmente natural”, elogiou.

    Antes de encerrarem a visita técnica, os franceses conheceram o novo projeto da Secretaria de Turismo que visa criar novas rotas na região central do Brasil, tendo Brasília como cidade-anfitriã, mas passando por outras cidades como Pirenópolis (GO), Alto Paraíso (GO), Caldas Novas (GO) e São Jorge (GO). Nesse primeiro momento, segundo o secretário, o trabalho está focado na França, já que o país é o quinto do mundo a enviar turistas ao Brasil (leia mais abaixo), o que encantou os visitantes. Perguntados sobre o possível retorno à capital do Brasil, os turistas já tinham resposta na ponta da língua: “Nous serons de retour”. Em tradução livre, “certamente, nós voltaremos”. Brasília agradece.  

    Novidades para os franceses
    A França é o 5º emissor de turistas para o Brasil e o 1º mercado emissor europeu para o País. De acordo com o anuário do Ministério do Turismo, 282.375 visitantes daquele país vieram ao Brasil em 2014, o que representa um aumento de 26,02% em relação ao ano anterior.

    Com apoio do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) e de governos do DF e do Goiás, o grupo tem o objetivo de diversificar a oferta brasileira no mercado francês, para fugir de rotas turísticas tradicionais. Para isso, a Embratur realizará “famtour”, termo usado para multi destinos locais. A parceria será com a compahia Air France-KLM, principal operadora do trecho, trazendo grandes empresários da França para conhecer os destinos turísticos do Centro-Oeste do Brasil, como Pirenópolis e Chapada dos Veadeiros. A ideia é levar o mesmo roteiro para outros países, a começar pelas representações diplomáticas com sede em Brasília




    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.