• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • terça-feira, 27 de outubro de 2015

    #Brasiliense Vítor Melo (Trybo) » Aplicativo ajuda a conhecer pessoas

    "O Facebook foi feito para adicionar e manter contato com pessoas que você já conhece. No Trybo, a ideia é o contrário: você vai buscar as pessoas baseado em onde elas moram, que língua falam, quais são as religiões e os interesses dela" (Vítor Melo, estudante e empreendedor)

    Brasiliense Vítor Melo, 20 anos, faz parte do time dos “internautas carentes”: usuários que não perdem a chance de fazer novas amizades, virtuais ou não. Pai do aplicativo Trybo, Vitor explica que o diferencial do programa é a possibilidade de refinar a busca por perfis de pessoas. Em outras palavras: em vez de procurar apenas pessoas conhecidas, o usuário pode buscar indivíduos que se interessem por determinado gênero musical, que morem em uma cidade específica ou que curtam os mesmos filmes que ele, por exemplo. “O Trybo é uma rede social que te dá a possibilidade de conhecer pessoas de qualquer lugar do mundo”, reforça o empresário. “O aplicativo tem três pilares: colocar o usuário em contato com pessoas de países diferentes, dar aos internautas a oportunidade de treinar uma língua e conhecer gente nova em geral.”

    A comparação com a rede social mais famosa do momento é inevitável, mas o Mark Zuckerberg do cerrado não se incomoda. Até porque o ponto de partida do Trybo é o próprio Facebook: a partir da conta do Face, o usuário acrescenta detalhes e informações adicionais sobre si mesmo, para criar o perfil Trybo Complete. Há, claro, um espaço para que o internauta defina filtros para o tipo de pessoa que quer encontrar. Assim, em menos de cinco minutos, ele já pode ver e ser visto na internet.

    O convite para estudar nos Estados Unidos veio graças ao bom desempenho de Vítor no basquete. Aos 13 anos, o então menino chamou a atenção da Seleção Brasileira Sub 16. Um agente o descobriu e ofereceu uma bolsa de estudos para o brasiliense cursar o ensino médio em uma escola norte-americana. Após o fim dos estudos, Vítor ganhou outra bolsa e foi fazer faculdade na Gettysburg College, na Pensilvânia. Entre bolas de basquete e livros, veio a vontade de empreender. Na universidade, ele se inscreveu para um concurso de empreendedorismo chamado Gettysburg College Entrepreneurship Fellowship, no qual apenas um dos cerca de 50 competidores receberia o prêmio de US$ 10 mil para começar uma empresa. “Eu me classifiquei pelo plano de negócios e, após uma apresentação de 15 minutos sobre o projeto, fui o vencedor da competição.” Após nove meses de trabalho, o aplicativo foi lançado em setembro.

    Empreendedorismo
    Vítor lembra que o interesse por empreendedorismo é antigo. “Sempre tive o sonho de fazer algo que pudesse fazer diferença no mundo. A tecnologia foi um método que vi que poderia fazer essa diferença, não só nos lugares perto de onde moro, mas no mundo inteiro. Achei que um aplicativo seria algo que poderia atingir muita gente.” O jovem explica que a motivação para que trabalhasse com redes sociais partiu de um projeto de que participou na universidade. “Na Gettysburg College, há uma classe que estuda a pobreza do mundo e como as crianças crescem em países em desenvolvimento, principalmente na África e na América Latina. A gente teve um projeto que era, na verdade, uma entrevista que fazíamos com estudantes de uma escola de ensino médio no Quênia. Esses estudantes iam entrevistar a gente e a gente ia entrevistá-los. A ideia do projeto era que a gente pudesse aprender mais com a cultura deles.”

    A partir daí veio o insight. “Eu imaginei: por que não dar oportunidade de alguém no Brasil conhecer alguém nos Estados Unidos; de alguém na França conhecer alguém da Ásia ou de Israel ou da Austrália? E, com isso, as pessoas conheceriam umas às outras, novas línguas, novas culturas.” Para Vítor, esse é justamente o objetivo maior do seu projeto: que as pessoas conheçam novas culturas, o que é viver em outros países.

    O jovem explica a diferença entre o Trybo e o Facebook. “O Facebook foi feito para adicionar e manter contato com pessoas que você já conhece. No Trybo, a ideia é o contrário: você vai buscar as pessoas baseado em onde elas moram, que língua falam, quais são as religiões e os interesses dela.” Para criar o Trybo, Vítor trabalhou com um desenvolvedor de São Paulo. O aplicativo é gratuito e está disponível para as versões iOS e Android.

    Fonte: Gláucia Chaves – Foto:Carlos Silva/CB/D.A.Press – Correio Braziliense 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.