• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • sexta-feira, 9 de outubro de 2015

    CARLOS CHAGAS: APESAR DE TUDO, O PAÍS MUDOU

    Carlos Chagas
    A decisão unânime do Tribunal de Contas da União, rejeitando as contas do governo Dilma em 2014, fez aflorar uma indagação que apenas bissextamente era feita por alguns curiosos. Hoje, todo mundo se pergunta e quer saber qual o maior responsável entre os donos do poder pelas pedaladas que constituíram crime contra a responsabilidade fiscal. Claro que a maior parcela de culpa recai sobre Madame, mas certamente alguém soprou para ela esse tresloucado mapa da mina onde não havia tesouro, apenas cobras e lagartos.
    Fala-se do ministro da Fazenda da época, Guido Mantega, do chefe do Tesouro Nacional, Arno Augustim, e do depois chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Outros existirão, agora saltando de banda, mas por que não um amanuense qualquer, daqueles que datilografam cópias do Orçamento e julgam-se gênios, salvadores senão da pátria, ao menos do governo.
    É provável que o Congresso deslinde a charada, tirando do lamaçal alguma raiz inesperada. Tanto faz se Renan Calheiros terá boa ou má vontade para iniciar nas Comissões Técnicas o processo capaz de levar deputados e senadores a também concordarem com o TCU. Depois, será o que Deus quiser, até o impeachment da presidente. O que salta aos olhos é a desfaçatez com que o governo endossou a ilegalidade. Havia, naqueles idos, a sensação de impunidade que Lula e Dilma absorveram tão bem. Tudo era permitido, desenvolvendo-se o mensalão, o petrolão e outras patifarias que vão sendo investigadas e, tomara, punidas por inteiro.
    NÃO APRENDEM…
    Do episódio envolvendo o TCU destaca-se a evidência de o palácio do Planalto não ter aprendido nada, ou esquecido tudo, desde o início da operação Lava Jato. Ficou ridícula a tentativa de incriminação da Corte de Contas e do relator Augusto Nardes. Primeiro, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, desfez a manobra infantil. Depois, por unanimidade, o TCU respondeu em defesa de sua honra. A palavra agora é do Congresso.
    Conclui-se que apesar de tanta lambança, o país mudou. Já não é tão fácil mentir, distorcer e roubar. A impunidade vem sofrendo sucessivas derrotas, esperando-se que não demore a degola do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, dada a confirmação de suas contas secretas na Suíça e, em especial, as negativas que o transformaram no irmão mais velho do Pinóquio.
    OS QUATRO CAVALEIROS
    No Congresso em estado de rebelião com o governo, correu uma loteria para os parlamentares definirem quais as quatro maiores pragas que assolam o Brasil. A primeira foi o desemprego. Depois, a inflação. Seguem-se a violência e a corrupção. Mas a incompetência e a especulação ameaçam e correm por fora.
    O grave é que nenhuma dessas realidades merece do governo, até agora, um programa efetivo de combate. O candidato presidencial que primeiro definir projetos para a recuperação nacional começará em vantagem.

    CHARGE DO ALPINO


    Compartilhado do Blog "Tribuna da Internet"

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.