• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 29 de outubro de 2015

    Lago Paranoá, no DF, tem 60 casos de captação ilegal de água em 2015

    Foram 14 denúncias por lançamento de resíduos; dados são da Adasa. MP abriu investigação sobre retirada irregular no Setor de Clubes.

    Fiscais da Agência de Águas do Distrito Federal (Adasa) identificaram 60 casos de captação irregular de água no Lago Paranoá, em Brasília, em 2015. Segundo o órgão foram 14 denúncias de lançamento ilegal de resíduos no lago.

    Nesta terça-feira (27), o Ministério Público abriu um processo administrativo para investigar a suspeita de captação irregular no Setor de Clubes Sul e Setor de Clubes Norte. O promotor de Defesa do Meio Ambiente declarou que a retirada sem autorização é crime e afeta a vida de animais e plantas da região.

    Segundo a Adasa, em 2013, foram 151 notificações por captação irregular de água e 22 por lançamento de resíduos no lago. No ano passado foram identificadas 114 captações e 26 lançamentos, diz a agência.

    O órgão afirmou que clubes às margens do lago usam água para lavar barcos e marinas. Antes, o desvio ocorria com a finalidade de irrigar jardins, gramados e campos de futebol.

    De acordo com a Adasa, seis notificações por retirada de água de forma irregular no Lago Paranoá foram entregues a clubes: Cota Mil, Marina Premium, Assefe, Associação dos Servidores do STJ, Clube das Nações E Bia Jet Marina.

    A direção do Cota Mil disse que aguarda notificação. A Associação dos Servidores do STJ afirmou que não foi notificada, mas que uma antiga bomba de captação, que era usada para irrigação do campo, foi desativada.
    A direção do Marina Premium disse que não foi notificada e que não retira água do Paranoá. A Assefe disse que recebeu comunicado da Adasa e que retirou a bomba antes do prazo pedido pela agência.

    O Clube das Nações declarou que usava a água para irrigação, que chegou a pedir autorização, mas que retirou as bombas do local logo que recebeu a notificação. O Bia Jet Marina afirmou que a bomba de água era uma lancha atracada no local, mas que o proprietário foi orientado a não usar o equipamento.

    Fonte: Do G1 DF


    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.