• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 8 de outubro de 2015

    #PARTIDOS » Marina lança sua bancada na Câmara Legislativa do DF

    Marina, que sempre teve votação expressiva na capital: "O DF é meu segundo estado, minha segunda cidade"

    Chico Leite, Cláudio Abrantes e Luzia de Paula assinam ficha de filiação à Rede. O partido da candidata à Presidência na última eleição vai reforçar a base de apoio do governador Rodrigo Rollemberg na Câmara Legislativa

    O partido Rede Sustentabilidade demorou quase dois anos para sair do papel, mas, agora, nasce como uma das siglas mais fortes do Distrito Federal. Com três representantes na Câmara Legislativa e um secretário no governo do DF, o diretório da sigla na capital será o mais representativo do país. A ex-senadora Marina Silva, candidata à presidência da República nas duas últimas eleições e líder da sigla, comandou ontem o ato de filiação dos deputados Chico Leite, Luzia de Paula e Cláudio Abrantes, que formam a maior bancada local ao lado de legendas tradicionais, como PT, PMDB e PDT.

    Em 2013, a Rede teve o registro negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e não pôde participar do pleito de 2014. Marina, então, filiou-se ao PSB, em uma articulação que teve como um dos principais atores o então senador e atual governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB). No fim do mês passado, o socialista fez questão de comparecer ao TSE para acompanhar a aprovação à criação do novo partido. O chefe do Executivo local vê na Rede a possibilidade de fortalecer a base aliada do governo na Câmara.

    A distrital Luzia de Paula foi a última a oficializar a troca de legenda. Ela estava em descompasso com a direção do PEN, que faz dura oposição ao GDF enquanto ela conta com cargos no governo e sempre vota a favor de medidas do Executivo. O caso de Cláudio Abrantes foi o oposto. Recém-empossado deputado — assumiu o cargo com a ida de Dr. Michel para o Tribunal de Contas do DF — recebeu apelos para permanecer no PT. Chico Leite, por sua vez, demonstrava insatisfação com a sigla da estrela vermelha há muito tempo e queria ter ido para a Rede desde 2013. Por duas vezes ele tentou concorrer ao Senado, mas o PT indicou outros concorrentes, Rollemberg, em 2010, e o ex-deputado Geraldo Magela, na última eleição. Agora, Chico pretende realizar o sonho de disputar um cargo majoritário, a depender do cenário, a senador ou ao governo local.

    O auditório da Câmara estava cheio para acompanhar a filiação dos distritais. Marina exaltou várias vezes o papel dos três deputados e afirmou que a Rede só os aceitou por se tratarem de políticos íntegros. “Nós não queremos quantidade, queremos pessoas comprometidas com a sociedade”, disse. Ela reiterou o apoio do partido ao governador Rodrigo Rollemberg. “Temos uma aliança programática, construída em valores”, ressaltou.

    Pelos distritais, Marina foi tratada como a “próxima presidente da República”. Abrantes citou o poeta português Fernando Pessoa para explicar a decisão de embarcar na sigla. “Tenho em mim todos os sonhos. E, juntos, conseguiremos realizá-los”, discursou. Chico Leite afirmou que a Rede tem condições de assumir o protagonismo político na cidade. “A Rede tem projeto para o DF. Nós fincamos o pé por causas, não por cargos”.


    Três perguntas para Marina Silva, presidente da Rede

    Aqui a senhora sempre teve votação alta. Qual é a sua ligação com o DF?
    Estou na cidade há mais de 20 anos, desde o primeiro mandato como senadora. Sempre digo que tenho meu estado de origem, onde tenho meu título eleitoral, e o DF é o meu segundo estado, minha segunda cidade.

    Que tipo de base a Rede pretende ser?
    De um processo de renovação da política e da continuidade desse trabalho que vem sendo feito de juntar economia com ecologia. Temos aqui um potencial muito grande para que o DF seja a capital da sustentabilidade.

    E com o governador Rollemberg, a senhora apoia o governo?
    A Rede faz parte da composição que elegeu o governo e contribui tanto na Secretaria (de Meio Ambiente) quanto no Ibram (Instituto Brasília Ambiental). O governador Rodrigo (Rollemberg) tem um grande desafio pela frente, pois pegou o DF como terra arrasada, sem recursos e com serviço público de má qualidade em vários setores.

    Fonte: Matheus Teixeira – Guilherme Pera – Correio Braziliense - Foto: Blog do Callado

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.