• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • segunda-feira, 19 de outubro de 2015

    PESQUISA DO GDF VAI MAPEAR CRIMES NÃO REGISTRADOS

    Até 16 de dezembro, 19.537 moradores das 31 regiões administrativas serão entrevistados para a primeira Pesquisa Distrital de Segurança do Distrito Federal, do programa Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida. O objetivo é verificar a taxa de crimes não informados ao Estado e planejar políticas públicas mais eficazes. O trabalho se iniciou na sexta-feira (16).

    A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social espera saber mais sobre crimes que, por algum motivo, deixaram de ser registrados pela vítima, como os que causam algum tipo de constrangimento, a exemplo de estupro, violência doméstica ou racismo. "Nem sempre as pessoas se sentem confortáveis ou confiantes para denunciar em uma delegacia de polícia, por isso vamos até elas, ouvir o que têm a dizer", explica o titular da pasta, Arthur Trindade.

    De acordo com o secretário, a ideia é avaliar a sensação de segurança da população e entender como a comunidade se relaciona com as forças policiais. O questionário dura cerca de 45 minutos, e as perguntas vão desde se a pessoa sofreu algum tipo de crime no último ano até o motivo para ela ter ou não registrado ocorrência.

    Além das Polícias Civil e Militar, a pesquisa apura itens ligados à atuação do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e do Departamento de Trânsito. Com isso, ações de prevenção também podem ser melhoradas.

    Método
    As famílias que estão sendo visitadas foram escolhidas em parceria com a Companhia de Planejamento do DF. A expectativa é que o levantamento completo seja anual e que outros, por localidade, ocorram a cada trimestre. "É algo que vai permitir entender a realidade de todas as regiões administrativas", resume Trindade. Segundo ele, com o resultado, será possível desenvolver políticas próprias para cada lugar, respeitando as especificidades.

    O sigilo das informações será garantido. São cerca de 50 entrevistadores, que ficam em campo até 16 de dezembro. Os resultados estarão prontos no início do ano que vem.

    A equipe, que trabalha uniformizada com uma camiseta branca estampada com o nome da iniciativa, recebeu treinamento nessa quinta-feira (15). Uma campanha publicitária será lançada para que os cidadãos contribuam com os pesquisadores.

    Para o trabalho, foi feito um contrato, via licitação, com o Instituto Veritá, no valor de R$ 500 mil — verba da própria secretaria.

    Primeira vez
    A ação é inédita na capital do País. O Ministério de Justiça fez um levantamento semelhante em 2011, mas era nacional, e não foram levados em conta dados de todas as regiões de Brasília.
    Durante a primeira semana de visitas, a equipe promoverá testes para verificar todos os procedimentos que serão adotados no processo.


    Fonte: Mariana Damaceno, da Agência Brasília 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.