• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quarta-feira, 16 de março de 2016

    Muda comando da #Terracap - (Vamos expandir nossos negócios vendendo lotes de 150 metros quadrados por cerca de R$ 60 mil para a população de baixa renda" )

                       O Condomínio Parque e Jardim das Paineiras deve ser regularizado

    Servidor concursado da empresa, o novo presidente garante, ainda este ano, implementar pelo menos dois projetos: a venda direta de lotes em condomínios e a implantação de programas de moradia para pessoas de baixa renda

    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) tem novo comando. O engenheiro Júlio César Reis foi empossado ontem como presidente da empresa responsável pelo patrimônio imobiliário do GDF. Reis recebeu o aval do Conselho de Administração da Terracap e assume o posto no lugar de Alexandre Navarro, que estava à frente da companhia desde o início do governo. Júlio César promete focar em projetos prioritários, como a venda direta de lotes em condomínios e a implantação de projetos habitacionais para pessoas de baixa renda, com a comercialização de terrenos com preços médios de R$ 60 mil, em várias cidades do Distrito Federal.


    "Existe um nicho de mercado que não é explorado pelo governo. Vamos expandir nossos negócios vendendo lotes de 150 metros quadrados por cerca de R$ 60 mil para a população de baixa renda" 
    (Júlio César Reis, presidente da Terracap)

    Alexandre Navarro sai da presidência da companhia para assumir o comando da Bsbativos, empresa ligada ao BRB. Júlio César é servidor concursado da Terracap desde 2005 e comandava a Diretoria Técnica e de Fiscalização da empresa. Antes de chegar à cúpula da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal, ele foi chefe do Núcleo de Topografia e Cálculos e gerente de Cartografia, Geoprocessamento e Topografia. Engenheiro agrimensor pela Universidade Federal de Viçosa e especialista em geoprocessamento pela UnB, é considerado um dos mais importantes técnicos da Terracap e tocou projetos importantes para o governo, como a regularização fundiária de parcelamentos.

    O novo presidente da empresa afirma que não haverá mudanças radicais na administração da companhia. “Queremos implantar uma gestão baseada na continuidade, não podemos, de forma alguma, interromper esses projetos em andamento. Vamos focar em iniciativas prioritárias, como a regularização fundiária de áreas como Vicente Pires e Jardim Botânico”, conta Júlio César.

    Em um momento de crise financeira, o governo vai focar na venda de terrenos em condomínios de classe média para tentar engordar o caixa. Os parcelamentos da Etapa 2 do Setor Jardim Botânico devem ser os primeiros totalmente regularizados nesta gestão. “A venda direta é prioridade absoluta. Os lotes da Etapa 2 devem ser registrados em cartório em breve. Havia a pendência de um recurso especial, mas que já foi julgado pelo STJ. Aguardamos apenas uma decisão da Corregedoria do TJDF para fazer o registro e a venda”, explica Júlio. Fazem parte da Etapa 2 os condomínios Mirante das Paineiras, Parque e Jardim das Paineiras, Estância Jardim Botânico II, Jardim Botânico I e Jardim Botânico VI. O Ville de Montagne e o Solar de Brasília, no Setor São Bartolomeu, também devem ser registrados em cartório ainda este ano, assim como a Gleba 3 de Vicente Pires.

    Lotes
    A oferta de moradia para a população de baixa renda em áreas com infraestrutura é outro enfoque da Terracap. “Sabemos que muitas pessoas pagam até R$ 50 mil por um terreno irregular em áreas como Sol Nascente. Existe um nicho de mercado que não é explorado pelo governo. Vamos expandir nossos negócios vendendo lotes de 150 metros quadrados por cerca de R$ 60 mil para a população de baixa renda”, explicou o novo presidente da Terracap.

    Ele não quis adiantar as cidades onde serão criados esses empreendimentos para evitar especulação imobiliária. “Serão oferecidas, gratuitamente, seis opções de plantas para os compradores. Quem usar esses projetos de engenharia e arquitetura terá o alvará aprovado automaticamente”, acrescenta Reis. A implantação desses projetos habitacionais deve começar a sair do papel ainda este ano.



    Fonte: Helena Mader – Fotos: Ueslei Marcelino/Esp.CB./D.A.Press – Correio Braziliense

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.