• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 3 de março de 2016

    Rollemberg acena com mudanças

                                Igor Tokarski pode seguir para o gabinete do governador

    Para dar um perfil político à gestão, o governador pode alterar chefia de pastas. Justiça, Cidades e Relações Institucionais agitam os bastidores

    O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) pretende aproveitar a mudança na  Secretaria de Saúde para realizar outras trocas no governo e fazer nomeações em cargos que estão vagos. Apesar de ter priorizado nomes técnicos para os postos mais importantes, o socialista quer reforçar a articulação do GDF e dar um tom mais político à gestão do Executivo local. O primeiro passo nesse sentido foi a reunião na Residência Oficial de Águas Claras, que contou com 14 distritais, na última quarta-feira. No encontro, Rollemberg cobrou fidelidade nas votações e apoio nos embates públicos: “Quem é da base é da base. Quem não for, que avise”, disse. A escolha dos titulares das pastas de Justiça e de Cidades e a substituição na secretaria adjunta de Relações Institucionais devem ocorrer nos próximos dias e esquentaram os bastidores.

    Após exonerar o então secretário de Justiça, João Carlos Souto, devido à crise no sistema penitenciário provocada pela fuga de 10 detentos da Papuda, o chefe do Palácio do Buriti ainda não indicou ninguém em definitivo para a pasta. No meio político, todos observam se o órgão vai seguir na cota política da Câmara Legislativa — antes, a Justiça era comandado por um apadrinhado de Raimundo Ribeiro (PSDB). Quem pode sofrer é o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago Andrade, e a presidente do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Jane Vilas Boas. Ambos são alvos de críticas do setor produtivo pela demora na emissão de alvarás e licenças.

    Rollemberg também quer mudar o interlocutor do Buriti com a Câmara Legislativa. Para o lugar de Igor Tokarski na Secretaria adjunta de Relações Institucionais deve ir José Flávio de Oliveira, ex-assessor de Joaquim Roriz e atualmente lotado na Casa Civil. A intenção de Rollemberg era nomear Tokarski na recém-criada Secretaria das Cidades, que terá o papel de articular o trabalho das administrações regionais.

    A reação de integrantes do PSB e de deputados, no entanto, fez o chefe do Executivo recuar. Uma ala da sigla socialista prefere o administrador do Plano Piloto, Marcos Pacco, na função. Mas distritais não gostam da ideia de um possível adversário nas próximas eleições exercer a função de gerenciar as administrações, reduto do governo comandado pelos parlamentares. Outro cotado é o assessor especial do governador, Marlon Costa. Diante do cenário, Tokarski teria aceitado assumir a chefia de gabinete de Rollemberg, após recusar o convite semanas atrás. Uma linha dentro do PSB defende que nenhum dos três nomes tem o perfil adequado e deve ser nomeado alguém que não tenha planos de disputar uma eleição.


    Fonte: Matheus Teixeira – Foto: Carlos Moura/CB/D.A.Press – Correio Braziliense

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.