• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • sexta-feira, 8 de abril de 2016

    O #BRT NA CAPITAL » 150km de vias exclusivas - (mas planos englobam os eixos Norte, Oeste e Sudoeste)

    Eliana reclama das filas que sempre encontra na estação do Gama: ela pede organização e frota de ônibus maior para a solução do problema

    Por enquanto, só o Expresso DF Sul saiu do papel, mas planos englobam os eixos Norte, Oeste e Sudoeste. Remodelagem de terminais e aplicação de tecnologia são pedidos da população e de especialista, para que haja menos espera e filas

    Além do Eixo Sul, o projeto de mobilidade da capital do país inclui a construção de três corredores para o Bus Rapid Transport (BRT): os eixos Norte, Oeste e o Sudoeste, que resultariam em 150km de vias dedicadas para o Expresso DF. A intenção do governo é tornar todo o sistema integrado e desafogar o tempo no trânsito dos usuários de Sobradinho e Planaltina. Mesmo com os projetos, a Secretaria de Mobilidade ainda não tem prazo para o início das obras — muito menos de operação.

    A primeira construção é a do Expresso DF Norte. Para isso, um conjunto de obras está incluído no projeto, como serviços de terraplanagem; implantação e restauração de pavimentação; drenagem de áreas rurais e urbanas; sinalização horizontal, vertical e semafórica; construção de viadutos, muros, contenções, túneis, trincheiras e pontes. O orçamento está previsto em R$ 1,2 milhão, com cinco terminais incluídos — dois em Sobradinho, dois em Planaltina e um na Asa Norte. A edificação de 38 estações ao longo de trechos da BR-020 e da Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia Norte) também está nos planos. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), responsável pelas obras, informou que o projeto executivo se encontra concluído e encaminhado para análises da Caixa Econômica Federal, mantenedora da execução. Em razão disso, ainda não existe previsão para o início das intervenções.

    Enquanto isso, o produtor de moda Danillo Costa, 24 anos, continua enfrentando o trânsito pesado da região. Ela sai do Setor Sul de Planaltina com destino ao Setor de Autarquias Sul, no Plano Piloto. Para não chegar atrasado ao trabalho, deixa a residência 2h30 antes, devido aos congestionamentos na Epia Norte. “O transporte para a nossa região é muito ruim. A vinda do BRT para cá facilitaria toda a locomoção. A questão da faixa exclusiva melhoraria bastante”, conta.

    Para Ceilândia, Taguatinga, Águas Claras e Guará, a Secretaria de Mobilidade prevê o Expresso DF Oeste. As obras, avaliadas em R$ 725 milhões, incluem o uso da faixa exclusiva da EPTG, trechos na Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) e Estrada Parque Setor Policial Militar (ESPM). Essa parte ainda está em fase de estudo de projetos; por isso, não existe um número definido de estações e terminais. “A faixa da EPTG está nos planos do Expresso DF. Ela vai começar a ser operada da forma como é hoje e depois prevemos readaptação das estações, como existe no Expresso Sul. Queremos operar a faixa por lá ainda este ano. Os estudos estão em andamento para isso”, detalhou o secretário adjunto de Mobilidade, Fábio Ney Damasceno. O Expresso Sudoeste, que deve atender Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo e Recanto das Emas, ainda está com o projeto em fase de conclusão.
               Faixa exclusiva na EPTG, que já existe, será usada no Eixo Oeste do BRT
               Terminais do BRT Sul serão redesenhados para a comodidade dos usuários

    Adequação
    Mas ainda há serviço a ser feito no Expresso DF Sul, já em uso. A secretária Eliana Nunes da Silva, 38 anos, sai da Quadra 3 do Setor Sul do Gama em direção ao trabalho, no Setor Comercial Sul, no Plano Piloto. Na opinião dela, as filas deveriam ser mais organizadas e a frota de ônibus, maior. “Quando chegamos ao terminal, as filas sempre estão intensas. Isso depois de esperar muito pelo ônibus alimentador. Essas melhorias já ajudariam o usuário”, sugere. Além disso, a secretária questiona sobre a não finalização do trecho da Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia), que não possui a faixa exclusiva para o Eixo Sul. “Mistura o trânsito. Deveria ter a pista exclusiva em todo o percurso”, aponta.

    Nos projetos da Secretaria de Mobilidade, está a conclusão do trecho de pista exclusiva entre Candangolândia e Asa Sul. As adaptações fazem parte da segunda etapa do Eixo Sul, que terá 7,6km de extensão. Os custos estão dentro do pacote de R$ 230 milhões para finalizar o Expresso DF Sul. “É uma das nossas prioridades, ao lado do funcionamento das estações ainda desativadas”, explica o secretário de Mobilidade, Marcos Dantas. A intenção da pasta é ligar o trecho, especialmente, com a Estação Asa Sul, onde há ligação com metrô e ônibus convencionais.

    Para evitar a desorganização de filas, o governo estuda o redesenho dos terminais existentes em Santa Maria e no Gama. “Alguns erros de projeto foram identificados. Os terminais passaram por modificações para evitar aglomeração nas filas, principalmente nos horários de pico. São pequenas alterações que devem ser feitas para melhorar a organização dos espaços. Tudo isso está em estudo”, detalha o secretário de Mobilidade.

    Doutor em engenharia de transportes pela Universidade de Brasília (UnB), Pastor Willy Gonzales Taco aponta que a expansão do sistema deve ser acompanhada do uso da tecnologia. “A incorporação de tecnologia vem, principalmente, para beneficiar o usuário do transporte público — não apenas do BRT, como dos convencionais. É importante o passageiro ter acesso a informação, acompanhar os horários e a frequência dos ônibus. Isso não vem sendo feito em Brasília”, critica. De acordo com a Secretaria de Mobilidade, os equipamentos necessários para a operação da central do setor já foram comprados. A operação ficará sob a responsabilidade do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans).

    Dinheiro para o transporte
    *R$ 1,1 bilhão
    Valor estimado para a execução das obras em Planaltina, Sobradinho e Asa Norte, no BRT Norte


    *R$ 725 milhões
    Custos previstos para projeto do BRT Oeste, que atenderá Ceilândia, Taguatinga, Águas Claras e Guará

    *R$ 987 milhões
    Montante de gastos para a operação da BRT Sul, com a conclusão dos trechos 3 e 4




    Fonte: » Thiago Soares - Marianna Nascimento - Especial para o Correio - – Fotos: Breno Fortes/CB/D.A.Press – Marcelo Ferreira/CB/D.A.Press – Correio Braziliense  

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.