• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 30 de junho de 2016

    #Urbanismo: Técnicos avaliam as condições da orla do Lago Paranoá

    Trabalho tem como objetivo definir a retomada das obras de urbanização e de paisagismo da área desocupada

    Para definir como será o reinício das obras de urbanização e de paisagismo nas áreas desocupadas na orla do Lago Paranoá, técnicos do governo de Brasília estiveram durante a manhã desta quinta-feira (30) na QL 12 do Lago Sul. Após a decisão do Superior Tribunal de Justiça, que permite retomada da revitalização, o trabalho recomeçou com o serviço de topografia do terreno e de roçagem do mato alto.

    Equipes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) também fizeram a topografia. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

    Equipes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap)também fizeram a topografia e, nesta sexta-feira (1º), os tratores continuam a roçagem e iniciam os serviços de limpeza e de poda. Servidores do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) também fizeram vistoria no local nesta quinta-feira.
    A vistoria feita pelos órgãos avaliou que não houve alterações ou retrocessos durante o período sem atividades. “A degradação notada é natural, como é o caso do mato crescido. A ideia é retirar também as sobras de estruturas que ainda ficaram por causa das desocupações”, explicou Luiz Batelli, subsecretário de Projetos, Orçamento e Planejamento, da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos.
    Trezentas mudas de plantas nativas do Cerrado haviam sido plantadas antes da interrupção das obras e precisarão ser reavaliadas. Segundo Batelli, algumas mudas sofreram avarias causadas por frequentadores ou por ação das águas do Lago Paranoá. De acordo com ele, o projeto paisagístico prevê o plantio de mais árvores após a limpeza do terreno.
    Paralelamente a essas ações, a secretaria continua com projetos de revitalização da orla do Lago Paranoá na QL 10 do Lago Sul.
    A presidente do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Jane Vilas Bôas, enfatizou que o aproveitamento das estruturas existentes para revitalizar a orla é uma medida sustentável. “Todos os órgãos envolvidos se articulam de maneira a integrar as construções existentes com o que precisa ser feito”, destacou.
    Representantes da Novacap e da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociaistambém participaram da vistoria.
    Projeto é retomado após decisão do STJ
    A operação na orla do Lago Paranoá começou em 24 de agosto de 2015. Na ocasião, 135 mil metros quadrados de área de preservação permanente e de parques foram desobstruídos.
    Em 7 de março, a Agência de Fiscalização (Agefis) paralisou as obras por imposição do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região. O desembargador Antônio Souza Prudente entendeu que as ações causavam danos ambientais e exigiu do governo um plano de recuperação da área degradada.
    No entanto, o ministro do Superior Tribunal de Justiça Napoleão Nunes Maia Filho, em decisão proferida na terça-feira (28), reconheceu que a responsabilidade pelo julgamento de ação popular dessa natureza é da Justiça do DF.
    Até o momento, 40% das obras estão em andamento. Após retomada dos trabalhos, o prazo de conclusão é de dois meses.
    No que diz respeito aos trabalhos de desocupação, o governo aguarda uma posição do Tribunal de Justiça.
    Galeria de fotos  : -  https://goo.gl/ltZjuR



    Edição:  Paula Oliveira – Ádamo Araújo – Agência Brasília

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.