• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • domingo, 31 de julho de 2016

    #CB NAS OLIMPíADAS » Vendas olímpicas na Torre de TV - - (Torre de TV o principal ponto de encontro de torcedores e turistas)

              O complexo da Feira da Torre de TV fica um pouco à frente da própria torre

    Feirantes esperam repetir sucesso de público da Copa nas Olimpíadas e preparam equipes para atender turistas e brasilienses. Ponto de encontro durante os jogos de 2014, o local deve receber grande fluxo de pessoas nos dias dos torneios de futebol, que começam nesta semana

    Durante a Copa do Mundo de 2014, a Feira da Torre de TV foi o principal ponto de encontro de torcedores e turistas que acompanharam partidas na capital federal. Mesmo com a derrota da Seleção Brasileira nos campos, os feirantes só tiveram motivos para comemorar. No período do torneio, as vendas subiram 1.000%. Com a chegada dos Jogos Olímpicos de 2016, comerciantes sonham em repetir o feito de dois anos atrás. Armada a poucos metros do estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha — que receberá 10 partidas de futebol durante as Olimpíadas, as duas primeiras na próxima quinta-feira (4) — e entre os principais hotéis da cidade, a feira se posiciona em um ponto privilegiado.

    Pensando nisso, artesãos e outros produtores preparam equipes e enchem estoques para receber turistas e brasilienses que querem fazer um aquecimento antes de assistir às competições ou continuar a festa no local. Durante a Copa, Natália Soares, 40 anos, sócia de uma loja que vende lembranças de Brasília e do Brasil, contou com cinco funcionários. Hoje, atende o público sozinha em grande parte da semana, mas reforçará o time para as Olimpíadas. “Trabalharemos em uma equipe de quatro pessoas nos dias de jogos no Estádio. Aumentamos o estoque de produtos verde e amarelo e estamos muito animados com a possibilidade de repetir o sucesso de 2014”, projeta.

    “Camisetas e bonés do Brasil são os produtos mais comprados por turistas”, conta Carla Martins, 41, empregada de uma loja de recordações aberta há 30 anos que passou pelas várias fases desse mercado aberto da capital federal. “Hoje, o movimento não está dos melhores. Conseguimos mais clientes em dias de eventos no estádio”, revela. Comerciante antiga na feira, Esmeralda Reis, 63, é filha da dona de um dos mais tradicionais restaurantes do local, o Acarajé e Tapioca da Vó Evilásia. A cozinheira marcou na agenda as datas dos jogos no DF e espera que a população volte a usar a feira como ponto de concentração nessas ocasiões. “No estádio, bebidas e comidas são bem mais caras. Aqui, oferecemos comidas típicas e gostosas por um preço muito mais atraente. Por isso, nos tornamos um local de festa na Copa e esperamos repetir o feito agora”, relata Esmeralda.
           O letreiro renovado em homenagem à cidade é uma das atrações da Torre de TV

    Expectativa moderada
    A Associação dos Artesãos, Artistas Plásticos e Manipuladores de Alimentos da Feira da Torre de Televisão (AFTTV) acredita que o aumento nas vendas será sutil em comparação à época do torneio mundial de futebol. “Sabemos que o número de visitantes será inferior ao de 2014, mas esperamos crescimento de até 50% durante os jogos”, relata Adonai Ferreira, presidente da associação. A Secretaria Adjunta de Esporte e Lazer do Distrito Federal informou que não serão instalados telões para que a população assista às partidas na Feira da Torre de TV ou em outros lugares do DF.

    Entretanto, isso não deve atrapalhar a animação. “Estaremos pintados de verde e amarelo para receber os visitantes e faremos uma festa própria”, explica o presidente da AFTTV.  Para atrair compradores, a associação planeja uma série de eventos culturais. “Aproveitaremos a presença de turistas para mostrar a cultura brasileira com apresentações de capoeira e shows”, explica Adonai Ferreira.
    "No estádio, bebidas e comidas são bem mais caras. Aqui, oferecemos comidas típicas e gostosas por um preço muito mais atraente. Por isso, nos tornamos um local de festa na Copa e esperamos repetir o feito agora" Esmeralda Reis, de uma barraca baiana
    "Trabalharemos em uma equipe de quatro pessoas nos dias de jogos no estádio. Aumentamos o estoque de produtos verde e amarelo e estamos muito animados com a possibilidade de repetir o sucesso de 2014" Natália Soares, de uma loja de lembranças
     "Camisetas e bonés do Brasil são os produtos mais comprados por turistas" Carla Martins, vendedora de recordações

    Jogos no DF
    Nas partidas, não será possível estacionar nos arredores do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. A orientação do Comitê Olímpico é para que as pessoas usem transporte público. Saiba mais em rio2016.com. Confira o calendário de partidas de futebol por aqui:

    Masculino

    4 de agosto
    Às 13h: Iraque x Dinamarca
    Às 16h: Brasil x África do Sul

    7 de agosto
    Às 19h: Dinamarca x África do Sul
    Às 22h: Brasil x Iraque

    10 de agosto
    Às 13h: Argentina x Honduras
    Às 16h: Coreia do Sul x México

    13 de agosto
    Às 13h: Quarta de final

    Feminino

    9 de agosto
    Às 16h: Alemanha x Canadá
    Às 22h: China x Suécia

    12 de agosto
    Às 13h: Quarta de final

    Para saber mais - Mercado de artesanato
    Muitas das bancas da Feira da Torre de TV são formadas por famílias, e a ocupação passa de pai para filho. O comércio aberto surgiu nos anos 1970, com pequenos produtores vendendo mercadorias aos fins de semana. Diferentemente de outros pontos de venda da capital federal, nunca se propôs a comercializar produtos importados: o principal artigo era o artesanato. No local, o público pode encontrar móveis, bijuterias, roupas e comidas típicas de diversas regiões brasileiras. Várias das vestimentas apresentam mistura de tecidos leves e coloridos, com acessórios feitos a partir de pedras, madeiras e sementes, o que ajudou a fixar o estilo hippie da feira.

    Em 2011, após anos de conflitos entre feirantes e o Governo do Distrito Federal, a feira saiu dos pés da Torre de TV e foi movida para um local próximo. A decisão até hoje traz revolta. “Desde que foi retirada da plataforma e veio aqui para baixo, as vendas da feira despencaram. Nosso maior movimento é em épocas de jogos no estádio”, percebe a feirante Esmeralda Reis. Atualmente, para atrair a população de volta ao local, semanalmente são promovidos eventos no local. Às terças-feiras, por exemplo, os visitantes podem acompanhar o Brasília sobre Rodas, que reúne exposição de carros e encontro de motociclistas. “É um local do povo e para o povo, então estamos sugerindo um novo espaço para ocupação artística e cultural”, relata Adonai Ferreira, presidente da AFTTV.


    Fonte: Correio Braziliense - Fotos: Breno Fortes/CB/D.A.Press

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.