• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 6 de outubro de 2016

    #História: Ao construtor de Brasília, com carinho -(Para celebrar os 60 anos da Novacap, o Arquivo Público do DF preparou uma exposição em homenagem ao primeiro presidente da companhia, Israel Pinheiro.)

    Uma das fotos da exposição: Israel Pinheiro (à frente) durante a construção do Palácio da Alvorada

    Para celebrar os 60 anos da Novacap, o Arquivo Público do DF preparou uma exposição em homenagem ao primeiro presidente da companhia, Israel Pinheiro. Mostra deve percorrer vários espaços públicos até o fim do ano

    Quando Brasília ainda era um desejo, um projeto no papel e um descampado no centro do Brasil, uma nova empresa foi criada, pela Lei nº 2874, para que o plano se tornasse realidade. A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) abriu as portas em 19 de setembro de 1956. Em comemoração aos 60 anos de história, a empresa decidiu homenagear uma pessoa essencial para a formação da instituição e para a construção da capital: Israel Pinheiro, o primeiro presidente da Novacap.

    A sede da Novacap receberá, até 14 de outubro, uma exposição em homenagem a Israel, organizada pelo Arquivo Público do Distrito Federal (ArPDF), . A mostra é composta por 10 painéis com 30 fotos de acervo sda família, do clube da Novacap e da Fundação João Pinheiro. As imagens contam a trajetória do também primeiro prefeito de Brasília.

    Apontado na mostra como “o grande condutor da construção de Brasília”, Israel Pinheiro aparece à frente das primeiras obras da cidade, assim como ao lado do arquiteto Oscar Niemeyer, do ex-presidente Juscelino Kubitschek e de chefes de Estado que visitaram a capital em seus primeiros anos de existência.

    Engenheiro de formação, renunciou ao mandato de deputado federal após ser convidado por JK para enfrentar o desafio de erguer a capital de um país em apenas três anos. E o fez com destreza. Pinheiro ficou responsável por toda a parte de infraestrutura da construção de Brasília — de rede de esgoto, telecomunicações, iluminação e toda a edificação da cidade, tudo estava sob responsabilidade dele.
    Israel Pinheiro, com visitantes, no local onde seria construído o Congresso Nacional; ao lado do presidente Juscelino Kubitschek e do arquiteto Oscar Niemeyer; e painéis da mostra na Novacap, em cartaz até 14 de outubro


    Em campo
    Elias Manoel da Silva, historiador e diretor de Pesquisa de Fusão e Acesso do Arquivo Público, que realizou o estudo detalhado da vida do engenheiro e possibilitou a produção que está exposta, fala da vida de Israel com grande admiração e destaca a importância histórica que ele tem para Brasília. “Israel se transferiu para o campo de trabalho. Ele não ficou na antiga capital, administrando a obra de longe, mas pisou no chão de barro do Planalto Central. Ele estava ali no dia a dia, ao lado dos candangos. É ousado falar isso, mas Juscelino Kubitschek foi o motivador político e fundador da cidade, mas Israel Pinheiro foi o verdadeiro construtor.”
    Para a Novacap, a importância do engenheiro não se destaca apenas por ter sido o primeiro presidente, mas também pelo caráter e coragem que tinha. A forma como trabalhava nos anos 1960 inspira pessoas até hoje na instituição. O atual presidente da empresa, Júlio Menegotto, confirma e destaca a determinação do engenheiro. “A história de Israel Pinheiro se mistura com a da Novacap. Ele construiu Brasília em 1.309 dias corridos. Foi extremamente competente para cumprir esse prazo. Nós nos orgulhamos do compromisso que Israel teve com a empresa. Ele cumpriu a missão que lhe foi confiada. Fora que, pelo relato histórico, é descrito como uma pessoa muito correta. Saber que a companhia começou nessa linha nos inspira.”

    A exposição deverá passar por outros espaços públicos do Distrito Federal até o fim do mês. Os lugares ainda estão sendo definidos, mas os organizadores têm propostas de vários locais que querem receber a exposição. Está previsto que passe por vários pontos importantes da cidade até o começo do ano que vem.

    Um presente 
    O diretor Elias Manoel da Silva conta que a exposição tem dois significados. Primeiramente, foi um presente do Arquivo Público do DF, que por muitos anos funcionou dentro da Novacap, para a companhia. “Por conta do aniversário de 60 anos da empresa, os funcionários do ArPDF quiseram dar algo importante para quem os recebeu tão bem.” Além disso, para Elias Manoel, a gratidão vai além do espaço emprestado, pois a Novacap doou o primeiro acervo do arquivo. “O Arquivo Público é o responsável por cuidar de toda a memória da capital brasileira. A contribuição da Novacap para essa preservação é muito relevante”, afirma.

    Programe-se
    Israel Pinheiro — o homem que dirigiu a construção de Brasília - A exposição está aberta ao público até 14 de outubro, das 8h às 18h.Local: sede da Novacap — Setor de Áreas Públicas, Lote B, s/n — SIA Sul, Guará.
    Para saber mais - Político e empreendedor
    Israel Pinheiro nasceu em 1896, em Caeté, Minas Gerais. Quinto dos 12 filhos de Helena de Barros e João Pinheiro Silva, ele cresceu em meio à política, já que o pai foi governador de Minas. Formou-se em engenharia civil na antiga Escola de Minas de Ouro Preto, atual Universidade Federal de Ouro Preto. Teve vasta carreira na política — exerceu diversos cargos na vida pública, como de vereador de Caeté e secretário de Estado a presidente da Companhia Vale do Rio Doce e deputado federal.

    Na década de 1950, tornou-se uma figura importante no governo de Juscelino Kubitschek. Ele encarou o desafio de organizar toda a infraestrutura para que a construção da capital saísse do papel. Em sua gestão, possibilitou a construção de estradas para se chegar ao Planalto Central, organizou a força de trabalho dos candangos e ainda trouxe concorrência de telefonia para o país — tudo isso para conseguir atender às necessidades de comunicação telefônica de Brasília. Também foi o primeiro prefeito de Brasília. Em 1966, em plena ditadura militar, acabou eleito governador de Minas Gerais, um desejo antigo. Israel morreu em 1973, em Belo Horizonte, aos 77 anos.




    Fonte: Correio Braziliense – Fotos: Ed Alves/CB/D.A.Press – Arquivo Público

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.