• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • sábado, 22 de outubro de 2016

    Projetos de arte e cultura tentam mudar imagem do Setor Comercial Sul - (#SCS)

    Visto como área de criminalidade, prostituição e tráfico de drogas, local vem sendo revitalizado por ações culturais. Neste sábado (22) tem Bregaween

    Pela manhã, o coração comercial de Brasília pulsa com cerca de 200 mil pessoas que por ali passam. Lojas, bancos, becos tomados e praças cheias. À noite, o local deserto ocupa o imaginário do brasiliense como área de criminalidade, prostituição e tráfico de drogas.

    No entanto, essa visão do Setor Comercial Sul tende a se modificar. Há pouco menos de um ano, ações de coletivos culturais e da Secretaria de Cultura do DF ocupam o espaço, levando arte e lazer à área originalmente destinada ao trabalho.

    Desde o fim do ano passado, o local vem recebendo diversas atividades. Neste sábado (22/10), o corredor das Quadras 2 e 3, tomado por lojas de departamentos, farmácias, salões de beleza e restaurantes, cede lugar à Bregaween, festa a fantasia inspirada no Halloween. Realizada pelo Coletivo Labirinto, o evento será animada pela banda Brega & Rosas.
                  A festa Criolina reuniu cerca de 2 mil pessoas no Setor Comercial Sul
    Cinco festas em cinco meses
    Nos últimos cinco meses, a produtora composta atualmente pelos jovens Caio Dutra, Phillipe Daher, Rafael Sebba, Camilla Santana, Carol Dutra e Maria Carol já realizou cinco festas no SCS. A primeira foi a Samba da Mutamba, em maio, depois teve a Criolina. Também aconteceram lá a GRAU, a Pequila Convida Felipe Cordeiro e a Invasão, em parceria com o Confronto Sound System.
    "A gente tenta promover a valorização do espaço e o crescimento compartilhado. Na Samba da Mutamba, com uma parte do lucro a gente fez um varal social para doação de roupas para a população que mora ali nas ruas. Nossa intenção não é expulsá-los, mas compartilhar o espaço e diminuir a violência" - (Caio Dutra, do Coletivo Labirinto)

    Para a Bregaween, uma parceria com a Hortare vai presentear o local com a construção de uma horta comunitária. “Chamamos a ação de live plaint, porque o pessoal vai fazer a horta enquanto a festa está acontecendo”, conta Caio. A festa também contará com os DJ Pequi e Murilo, além de um concurso de fantasias, e terá como prêmio um jantar no Restaurante Beco (407 Sul). Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 30.
    A Samba da Mutamba, primeiro evento do Coletivo Labirinto, foi uma festa para a família
    “Todo mundo ganha”
    A Administração de Brasília avalia como positiva essa ocupação. Segundo o gerente de cultura, esporte e lazer, Victor Lizárraga, ações como essa trazem benefícios, pois movimentam a cadeia produtiva da cidade. “Apoiamos todos os eventos organizados e que cumprem as exigências previstas. Todo mundo ganha, porque a gente fomenta a economia criativa, o comércio local, a arte e o lazer”.
    Lizárraga ainda ressalta que as festas e projetos culturais trazem ao SCS um outro olhar. “É um espaço esquecido que ficou estigmatizado como ponto de prostituição, uso de drogas e violência, mas, quando as pessoas ocupam com cultura, a tendência é que diminua essas características. A pessoa que só trabalha aí também pode ver o local com outros olhos, como forma de diversão”.
    Uma das primeiras iniciativas promovidas pelo GDF chamou-se Natal Legal e visou retirar ambulantes do trabalho informal e desenvolver feiras. A partir deste ano, os projetos Quarta Musical e Quinta Cultural têm levado música, poesia e teatro àquele setor a partir das 18h. Músicos da cidade apresentam rock, MPB, samba, bossa nova, enquanto food trucks formam uma praça de alimentação.
                                       Quarta Musical reúne músicos e artistas da capital
    Menos ocorrências policiais
    Sessões de cinema, exposições e workshops também têm sido promovidos por ali. A Casa da Cultura da América Latina (Quadra 4) traz programação frequente de filmes nacionais e internacionais com sessões às 12h e às 15h. O Sesc Presidente Dutra (Quadra 2) promove sessões de cinema para adultos e crianças às 12h. Já o Museu dos Correios (Quadra 4) recebe exposições de artistas mundialmente conhecidos.
    Dados da Secretaria de Segurança Pública apontam que, de janeiro a junho deste ano, não houve registros de homicídios nem estupros na área. Em 2015, foram oito assassinatos no mesmo período. As ocorrências por tráfico de drogas diminuíram 42,3% comparando os dois anos. Os números são frutos,além das atividades culturais, do trabalho de iluminação, regulação dos ambulantes, policiamento e sinalização do trânsito.

    Fonte: Thais Rodrigues - Metrópoles

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.