• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • terça-feira, 18 de outubro de 2016

    PSB vai pedir cassação do deputado Laerte Bessa ao Conselho de Ética

    O deputado Laerte Bessa (PR-DF) questionou o sorteio de dois parlamentares petistas para a relatoria do processo de cassação de Bolsonaro (Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados)

    Em discurso, ele chamou governador Rollemberg de 'safado' e 'maconheiro'. Fala foi registrada em plenário; deputado já responde a ação similar do PT.

    A bancada do PSB na Câmara dos Deputados anunciou nesta terça-feira (18) que vai pedir a cassação do deputado Laerte Bessa (PR-DF) ao Conselho de Ética, por quebra de decoro parlamentar. Em discurso no plenário, nesta segunda (17), Bessa usou termos como "safado", "bandido maconheiro", "frouxo" e "cagão" para se referir ao governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB).

    O deputado afirmou ter sido barrado no Palácio do Buriti, sede do governo do DF, enquanto tentava acompanhar uma negociação de policiais civis com o governador por reajustes salariais. Bessa é ex-delegado da Polícia Civil do DF e já tinha feito discursos similares em assembleias da categoria. O G1 aguardava retorno do deputado até a publicação desta reportagem.

    Segundo o líder em exercício do PSB, deputado Tadeu Alencar (PE), a representação será assinada pelos 32 deputados do partido e pelo presidente, Carlos Siqueira, e protocolada até o fim da semana. Até as 16h50 desta terça, o texto ainda estava em fase de elaboração.

    "[O pedido de cassação] É um repúdio do PSB a uma agressão completamente incompatível com o decoro parlamentar e o exercício da boa política. A política está desacreditada no país, em parte, por episódios como esse", disse Alencar. Segundo ele, não há possibilidade de pacificação ou pedido de desculpas fora do âmbito do Conselho de Ética.

    Membro do conselho
    Bessa é um dos 22 membros do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, e já responde a outra ação no colegiado. O PT acusa o deputado de ter quebrado o decoro parlamentar ao acusar o partido, em uma reunião do conselho, de ter roubado "bilhões de reais do país".

    O processo foi distribuído inicialmente para o deputado Sérgio Moraes  (PTB-RS), que ficou conhecido nacionalmente, em 2009, ao declarar que se lixava para a opinião pública. Candidato nas eleições municipais, o parlamentar se disse impedido de cuidar do caso, e a relatoria passou às mãos do deputado Mauro Lopes (PMDB-MG).

    No início do mês, Lopes pediu o arquivamento do pedido de cassação. O julgamento do caso pode continuar na reunião desta quarta-feira (19), a partir das 14h.

    Discurso inflamado
    Os trechos com a fala mais "incisiva" de Laerte Bessa foram retirados das notas taquigráficas da Câmara, como prevê o regimento interno da Casa. Após a fala do parlamentar, a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) pediu que as "palavras ofensivas e inadequadas" fossem riscadas dos registros.

    Na madrugada de segunda para terça, Bessa publicou o registro do discurso, em vídeo, em uma página social. As imagens foram acompanhadas da legenda "Ao preguiçoso e insolente governador do DF o que ele merece !! #ForaRollemberg #ODFpedeSocorro #Frouxo".
    Publicação do deputado Laerte Bessa (PR-DF) em rede social repercute discurso em plenário - (Foto: Facebook/Reprodução)

    Líder do PSB, Tadeu Alencar criticou a publicação e disse que, por terem sido ditas no plenário da Câmara, as ofensas são ainda mais graves.

    "Sei que o deputado é dado a esses arroubos de ser agressivo, de ofender, mas não tinha tido conhecimento especificamente de nenhum fato dessa gravidade. O fato de ter usado a tribuna da Câmara, que é um território que merece ser frequentado com o todo o respeito. Ter respeito pela Tribuna é ter respeito pela atividade política", disse o parlamentar.

    Confira o trecho do discurso de Laerte Bessa questionado pela bancada do PSB na Câmara:

    "Eu tenho falado que o governador de Brasília é um grande maconheiro, um bandido que está acabando com o Distrito Federal. Esse governador, além da incompetência que tem, porque ele não sabe gerir, ele é preguiçoso, é um cara que não trabalha.

    Brasília está abandonada, e esse vagabundo se recusou a me receber lá, agora, no Buriti, dizendo que eu ando falando coisas, impropérios com respeito a ele. Eu 'tô' falando é o que o povo do Distrito Federal está falando dele, que ele é preguiçoso e que está acabando com o Distrito Federal.

    Seu governador Rollemberg, seu safado, bandido maconheiro, você tem que ser homem para receber quem quer que seja. Você não me recebeu hoje porque é um cagão, frouxo, e não é homem para dirigir o Distrito Federal."



    Mateus Rodrigues - Do G1 DF

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.