• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • sábado, 21 de janeiro de 2017

    #Boraaa - Uma atividade a cada fim de semana - "Aulas gratuitas de diferentes modalidades agitam os parques de Brasília e as academias. Elas são boas opções para quem quer descobrir um esporte que agrade ou apenas para sair da rotina"

        Além de tonificar os músculos, aulas de circo focam na harmonia da performance

    Por: Renata Rusky, 

    Aulas gratuitas de diferentes modalidades agitam os parques de Brasília e as academias. Elas são boas opções para quem quer descobrir um esporte que agrade ou apenas para sair da rotina

    Levar uma vida mais saudável está entre algumas das resoluções de ano-novo mais populares. Para estimular as pessoas a praticarem exercícios e também difundir as atividades ofertadas, academias de modalidades diversas oferecem aulas gratuitas nos fins de semana. A diferença entre esses eventos e uma aula experimental tradicional é que eles reúnem mais iniciantes e ninguém fica se sentindo perdido ou envergonhado por não conseguir executar um ou outro movimento.

    A administradora Thais Rangel, 24 anos, não faz nenhuma atividade física regular. Como mora em um condomínio do Guará, tem à disposição academia, piscina e tenta nadar e caminhar na esteira de vez em quando. Também gosta de pedalar e de fazer manobras com o bambolê. Essa segunda habilidade fez com que procurasse uma aula grátis de circo oferecida na academia Penduricália no último sábado pela manhã. Além dela, cerca de 50 novatos procuraram a atividade — a maioria, mulheres — e foram divididos em dois grupos. “Eu estou procurando um esporte mais divertido e que trabalhe a flexibilidade”, explica Thais.
    Segundo Marcelo Melo, sócio da Penduricália, a aula é dividida em construção da força, alongamento puxado, malhação e subida nos tecidos. Tudo isso com foco na parte artística dos movimentos, para não deixar de lado a arte circense. O principal benefício sentido por quem pratica é a tonificação dos músculos. Abdominal, costas e braços são as partes mais trabalhadas durante a aula, que dura cerca de duas horas.“A performance bonita e harmônica tem a ver com força muscular e flexibilidade”, detalha a professora Tallyta Torres.

    Isabella Telles, 20, estudante, também participou da aula de circo. Ela faz aula de dança há cerca de quatro meses e teve seu primeiro contato com a arte circense em um evento gratuito no Eixão, que incluía circo e ioga. Foi à Penduricália com amigas, para ter certeza de que queria continuar. “Eu não gosto de academia, os exercícios são muito mecânicos. Eu gosto de aulas que não são repetitivas e que me desafiam”, conta.
    Marina Dias, 18 anos, também estudante, sempre gostou de ginástica olímpica e de exercícios que envolvem arte e flexibilidade. Há cinco anos, porém, está só na academia. “Eu deveria ir cinco vezes por semana. Com dificuldade, vou três. No circo, a malhação me ajudou na força, mas me falta flexibilidade”, afirma. Por já ter praticado pole-dance, ela acredita que conseguirá se adaptar à prática de circo logo.

    No parque
    Os parques da capital — Parque da Cidade, do Bosque Sudoeste, de Águas Claras e Olhos D’Água — e o Eixão são pontos de encontro de quem quer se exercitar aos fins de semana. Para aproveitar o fluxo de pessoas em busca de atividades físicas, muitas academias oferecem aulas gratuitas por lá. Também no último sábado, o Parque da Cidade foi palco de três aulas gratuitas de crossfit, organizadas por uma academia da modalidade, a Lake View. A duração foi de apenas meia hora, cada uma, mas alguns, mais acostumado, apareceram e participaram de mais de uma aula. Cerca de 60 pessoas participaram.
    "Eu não gosto de academia, os exercícios são muito mecânicos. Eu gosto de aulas que não são repetitivas e que me desafiam" - (Isabella Telles, participou de aula experimental de circo)

    O militar Leonardo Flores, 32, já está acostumado a correr e a malhar diariamente, até por exigência da ocupação, mas viu a diferença entre o que faz e o treino funcional, tendência no mundo todo. “É muito mais dinâmico, e malhar em grupo é bom, porque todo mundo vai se motivando”, afirma. Ele foi ao parque com o amigo Marcelo Moura, 28, executivo de contas. Marcelo não tem intenção de se matricular na modalidade, mas, no fim de semana, gosta de fazer exercícios diferentes dos que já está acostumado. “É bom sair da rotina e, ao ar livre, aqui no parque, é melhor ainda”, opina.

    Exercite-se - Veja quais são as opções de atividades na cidade nos fins de semana
    Aulão de inauguração do Espaço Cultural Trupe Trabalhe Essa Ideia -Aulas de balé, street dance, sapateado, condicionamento físico e até de canto e teatro para crianças e adultos. - Quando: 21 de janeiro, das 8h50 às 18h10 - Onde: SQN 713, bloco G, loja 56 - Contribuição: R$ 10 - Informações pelo e-mail trabalheessaideia@gmail.com

    Ioga com o coletivo Namastê - Quando: todos os sábados, às 9h - Onde: Estacionamento 13 do Parque da Cidade, ao lado do vestiário do Nicolândia - Contribuição: a partir de R$ 20

    Lian Gong: prática corporal oriental - Quando: todas as segundas e quartas-feiras, às 8h30, e sábados, às 9h- Onde: Parque do Bosque do Sudoeste
    Gratuito


    (*) » Renata Rusky -   – Fotos: Luis Nova- Esp/CB/D.A.Press – Correio Braziliense 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.