• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

    Arte e vandalismo - - (As pichações são um dos aspectos mais desagradáveis da cena urbana atual. Esse problema é grande em Brasília,...)

    O rápido processo de urbanização foi uma das principais marcas da história do Brasil no século 20, especialmente na segunda metade desse período. Para quem vive em Brasília, isso é mais claro do que para qualquer outro brasileiro. Afinal, a cidade onde estamos nasceu e se consolidou ao longo das últimas seis décadas.

    Sair do mato para a metrópole que temos hoje é algo com poucos paralelos no mundo. Mas não se pode esquecer que outras grandes cidades brasileiras também passaram por mudanças radicais. Quem vê fotos de capitais brasileiras em 1960 muitas vezes não consegue reconhecer o cenário atual.

    As cidades ganharam novas vias, prédios, metrôs, parques, arborização e obras de arte. As mazelas também surgiram ou cresceram. Favelas se multiplicaram. Na falta de saneamento básico, rios, lagos e praias foram contaminados. O trânsito se tornou infernal. A violência, assustadora. E a estética foi violentada, tanto pelo vandalismo quanto pela proteção com grades e muros.

    As pichações são um dos aspectos mais desagradáveis da cena urbana atual. Esse problema é grande em Brasília, como percebe qualquer visitante já ao sair do aeroporto e passar por obras viárias caras tomadas por rabiscos. Ainda pior é o que se vê nas imediações da Rodoviária ou na W3 Sul.

    Em São Paulo, maior cidade do país, o problema é ainda mais grave. Não é à toa que o prefeito João Doria está em guerra declarada contra os pichadores, seguindo compromisso de campanha. Equipes da prefeitura saíram pela cidade passando tinta por cima dos rabiscos.

    Quase todo mundo quer ver a cidade mais limpa. Mas a estratégia bélica está longe de ser consensual. O que mais motiva os pichadores é exatamente o risco e o desafio do confronto. Assim, é grande a chance de que eles aumentem as ações em vez de diminuírem.

    O outro problema está em eliminar grafites, uma das boas novidades urbanas em contraste com o passado. O país tem artistas consagrados mundialmente nesse tipo de linguagem artística. Em São Paulo, muitas obras de arte foram apagadas no mês passado, sob o argumento de que já haviam sido deturpadas por pichações. Melhor seria restaurá-las. Qualquer solução deve se adequada aos tempos de hoje. O que os brasileiros querem são cidades mais belas. Com arte. Sem vandalismo.


    Paulo de Tarso Lyra – Correio Braziliense – Foto/Ilustração: Blog - Google

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.