• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • sábado, 10 de junho de 2017

    Brasília, retrato do Brasil

    *Por Ana Dubeux

    Nunca Brasília foi tão Brasil. Normalmente, dissociada do resto do país, para o bem e para o mal, Brasília tem ingerido doses cavalares de Brasil. Renda per capita nas alturas, cidade à prova de crise, asséptica, sem a malemolência e os regionalismos que particularizam e unificam os demais estados, mas com a maior concentração de corruptos da humanidade... Não é assim que é normalmente vista? O Distrito Federal sempre foi tudo em como o ponto fora da curva, o lugar dos mandos e desmandos dos poderosos. Nos últimos dias, no entanto, a capital da República parece absurdamente coesa com as demais unidades da Federação. Não somos diferentes. Nem piores, nem melhores. Somos um retrato do Brasil.

    Teve de tudo por aqui. Já podemos contar praticamente uma bancada presa. Deputados, senadores, ex-governadores. Temos corruptos de todos os escalões e estirpes, ocupantes de altos cargos, empresários, achacadores e pagadores de propina. E não podemos dizer que isso chega a ser novidade. E também não podemos dizer que acabou por aí. Desde antes da Operação Caixa de Pandora, a cidade já colecionava suas decepções políticas e, pelo que já foi dito, outras delações devem revelar mais safadeza. Arrisco dizer que Brasília talvez nunca tenha tido uma obra pública que esteja acima de qualquer suspeita. O mesmo pensamento pode ser aplicado ao Brasil.

    Teve quebra-quebra, invasão, gritaria dentro e fora do Congresso. Teve despreparo das forças de segurança durante a manifestação. Teve equívoco do Planalto ao convocar as Forças Armadas para conter manifestantes, embora houvesse desordeiros, mascarados e bandidos entre eles. Foi em Brasília, mas podia ser em qualquer outro canto do Brasil. A capital se faz dia a dia espelho do resto do Brasil. Também precisamos parar com a autodefesa eterna (e olha que eu defendo!) de que somos apenas depositário dos malvados brasileiros.

    Brasília tem mais dinheiro e educação do que a maioria dos estados, e é tão corrupta quanto. Com frequência, ignoramos a imensa concentração de renda desta cidade, mas não admitimos abrir mão das benesses de um serviço público que, na maioria das vezes, serve muito mal a quem quer que seja.

    A Esplanada, cartão-postal, tem sido tão somente o lugar-comum brasileiro. Quem não se lembra do muro — na verdade, um alambrado — que simbolizou o país dividido durante o impeachment da então presidente Dilma? A violência, agora nos últimos protestos, ganhou status de soberana, impondo imagens não de uma Brasília deflagrada, mas de um país em conflito, a serviço de grupelhos. Os ratos soltos na manifestação nada mais são do que a versão melhorada, embora criminosa, dos ratos espalhados nos órgãos públicos do país. Uns estão a serviço dos outros. Assim como Brasília está a serviço e também se serve do Brasil.


    (*)Ana Dubeux – Editora Chefe do Correio Braziliense – Foto/Ilustração: Blog - Google

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.