• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • sábado, 3 de junho de 2017

    Trilhas do Jardim Botânico oferecem lazer e aprendizado

    A trilha Matter tem 4.439 quilômetros, é asfaltada e pode ser percorrida abordo de carros e de bicicleta ou a pé. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

    Com foco em educação ambiental, instituto oferece percursos com orientação de funcionários

    Com mais de 600 hectares, a área do Jardim Botânico aberta para visitação oferece desde coleções de espécies do Cerrado conservadas para pesquisa e preservação até opções de lazer e de atividades físicas, como as trilhas para quem quer passear de bicicleta, de carro ou mesmo a pé. > Vídeo
    “As trilhas são parte da educação ambiental. Elas passam por muitos ambientes e, geralmente, são feitas com guias que podem explicar como muda o ambiente e as espécies nele”, explica o diretor-executivo do Jardim Botânico, Jeanitto Sebastião Gentilini.

    Segundo ele, muitas escolas da educação infantil, ensino superior e grupos de idosos aproveitam o passeio para aprender sobre o Cerrado.
    Uma das funcionárias que atuam como guia é a gerente de Apoio Educacional da reserva ecológica, Ana Luiza Rio Caldas. “Quando caminhamos, estamos expostos ao vento, ao barulho e aos animais”, detalha.
    Há cinco tipos diferentes de trilhas e diversos percursos que os visitantes podem percorrer. Os caminhos se cruzam, se misturam e, com exceção da Trilha Ecológica, não têm início. Ou seja, a pessoa pode começar a atividade pela entrada do Jardim Botânico, assim como estacionar no centro de visitantes e entrar na mesma trilha, mas em um trecho diferente.
    Conheça as trilhas do Jardim Botânico de Brasília - Trilha Matter: 4,439 quilômetros de extensão
    Com 4,439 quilômetros, ela é asfaltada e pode ser percorrida a bordo de carros e de bicicleta ou a pé. Com espaço para a passagem de apenas um automóvel por vez, ela é de mão única e liga a portaria principal do Jardim Botânico ao centro de visitantes.
    Por ter que dividir o espaço da trilha com veículos, a recomendação é que os pedestres e ciclistas sejam cuidadosos. Os topos das árvores de cada lado se cruzam e formam um arco, o que torna o caminho todo sombreado.
    “A mata fechada que cerca a Matter também é um tipo de Cerrado. As pessoas estão acostumadas com aquela imagem do bioma com árvores isoladas, mas existem muitas variações para serem aprendidas aqui”, ensina Ana Luiza.
    Ao longo da trilha, há espaços com bancos para descanso, uma área de piquenique com banheiros e o próprio centro de visitantes, onde existe acesso às coleções expostas e a um bistrô.
    Trilha Ecológica: foco na educação ambiental
    Segunda trilha principal do Jardim Botânico, a Trilha Ecológica é ainda maior, com 4,565 quilômetros e estrada de terra. Ela é larga o suficiente para permitir a passagem de grupos. O foco é que esse passeio seja usado para promover a educação ambiental.
    Segunda trilha principal do Jardim Botânico, a Trilha Ecológica é ainda maior, com 4,565 quilômetros e estrada de terra. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
    Ela é dividida em trechos menores para conduzir estudantes. “Não a percorremos inteira porque são 4,5 quilômetros de estrada de terra com obstáculos, como árvores caídas, normais de trilhas naturais”, justifica Ana Luiza. Segundo ela, só o segundo trecho do percurso leva cerca de três horas para ser percorrido com excursões de escolas.

    Apesar de ser uma trilha voltada para levar grupos com foco educacional, ela pode ser usada por outros visitantes, exceto pelos que estiverem de carro.
    Aceiros: bons para ir de bicicleta nomalmente são espaços que dividem a vegetação para impedir que incêndios se espalhem. No Jardim Botânico, eles também são usados como trilhas voltadas especialmente para bicicletas, mesmo que carros e pedestres possam usá-las.
    São as trilhas com a maior extensão, porque não fecham ciclos. Como são usados para dividir os espaços da reserva ecológica, eles dão a volta na área de 6.160.653 metros quadrados e ainda se cruzam em linhas retas por dentro do Jardim Botânico.
    Trilha Acessível: diverte pessoas com deficiência locomotora
    Ainda sem sinalização e sem medição da distância, a Trilha Acessível é a menor do parque e é toda calçada. Feita para que pessoas com deficiência locomotora possam acessar as coleções próximas do centro de visitantes, ela é a indicada para pessoas idosas e cadeirantes.
    “Às vezes, as pessoas vêm aqui com a intenção de ficar parado, mas a trilha dá a vontade de seguir as coleções. Alguns ainda nos dizem que faziam anos que não caminhavam tanto”, compartilha Ana Luiza.
    A trilha começa na área de educação ambiental, passa pelo cactário, pelo jardim japonês, pelo jardim de contemplação, pelas coleções das bromélias e das aráceas e termina no parque infantil. Não é permitido passar por ela com veículos ou bicicletas.
    Trilha de Pedestres: ainda mais perto da vegetação
    A Trilha de Pedestres entra nas áreas da vegetação, onde não é permitido o uso de bicicletas e de carros. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
    Com início e fim em outras trilhas, a Trilha de Pedestres entra nas áreas da vegetação, onde não é permitido o uso de bicicletas e de carros. Apesar de ser possível correr por elas, a prática não é recomendada porque as árvores podem ter galhos baixos no caminho.

    Além disso, o aviso mais importante é não seguir por elas sem companhia. São as trilhas com mais intervenção da vegetação, e é onde fica mais fácil ocorrer acidentes. “Se você quebrar uma perna, é preciso ter ajuda. Nem especialistas devem entrar sozinhos”, alerta Ana Luiza.
    Galeria de Fotos: (   goo.gl/8xXZl7   )










    Agência Brasília

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.