• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

    Ter investigados na Mesa da Câmara do DF 'não constrange', diz novo presidente

    Grupo eleito para comandar votações tem Robério Negreiros, que responde por nepotismo, Raimundo Ribeiro e Cristiano Araújo, citados na Drácon. Composição vai até 2018.

    Na primeira entrevista como presidente eleito da Câmara Legislativa do Distrito Federal, o deputado Joe Valle (PDT) afirmou que a presença de três deputados investigados na nova composição da Mesa Diretora "não constrange a gestão".

    "Vamos cumprir todos os ritos na casa que existem. E dar oportunidade de todos se defenderem de forma legal", declarou. Joe foi apoiado na eleição por 12 dos 24 distritais, e empatou em número de votos com Agaciel Maia (PR). No desempate, ele venceu porque tinha um dia a mais de mandato, referente a uma passagem pela Câmara como suplente em 2009.

    Dos oito membros da Mesa Diretora, três são investigados por supostas condutas irregulares no mandato. O segundo secretário, Robério Negreiros, é acusado de nepotismo. Já Raimundo Ribeiro (PPS), escolhido como terceiro secretário, e Cristiano Araújo (PSD), suplente da mesma cadeira, são acusados de corrupção passiva no âmbito da operação Drácon, que apura suposta propina em emendas parlamentares.

    Sobre a expectativa para os dois anos no comando da Câmara, Joe disse que não pretende se colocar como aliado ou opositor do Palácio do Buriti. "A Câmara nunca pode ser de oposição ou situação. Ela tem que firmar uma posição. A mesa é a mesa, não existe isso. Vamos trabalhar para uma cidade melhor", afirmou.

    Joe Valle foi secretário de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do governo Rodrigo Rollemberg durante 10 meses. Após esse período, o PDT se afastou da base de apoio. A eleição de Joe para a presidência é considerada uma derrota para o governo Rollemberg, que apoiava a candidatura de Agaciel para o cargo.

    Entenda as denúncias
    Negreiros é investigado por suspeita de nepotismo cruzado. Os investigadores apuram se ele e o deputado federal Felipe Maia (DEM-RN) fizeram acordo para nomear parentes um do outro em seus respectivos gabinetes. A cunhada de Negreiros estava lotada no gabinete de Maia, e a do deputado do Rio Grande do Norte dava expediente no gabinete da liderança do PSDB no DF.

    Já Ribeiro e Araújo foram denunciados pelo Ministério Público do DF em novembro. Para os investigadores, há provas suficientes de que eles pediram propina à entidade ligada à construção civil e a prestadores de serviços na saúde para aprovar emendas destinadas a reformas de escolas e sobre serviços de UTI na cidade. Além deles, outros três deputados foram denunciados no mesmo processo.

    “O que nós temos hoje é uma investigação que ofertou uma denúncia que poderá ser aceita ou não pelo Tribunal de Justiça do DF. As pessoas maximizam muito”, minimizou Ribeiro sobre as acusações contra ele. O parlamentar, que chegou a ser afastado da Câmara Legislativa mas voltou depois de uma decisão do Tribunal, disse que vai apresentar sua defesa no caso nesta sexta (16).

    Agradecimento
    Valle foi eleito por critério de desempate em uma eleição que ficou empatada graças a um recuo de última hora de Negreiros. O tucano teria prometido a contragosto à presidência nacional do partido apoio ao candidato do governo à presidência da Casa, Agaciel Maia (PR). Mas voltou atrás após ser acusado de não ter convicção própria e ser chamado de “moleque” em plenário.

    Eleito, Vale disse que não houve promessas a Robério para o deputado mudar de lado. “Eu já havia prometido a segunda secretaria a ele, mas a candidatura de oposição também. O que eu disse a ele é que eu o trataria com o respeito que ele merece. Eu não tenho nada para dar a ele a não ser o trabalho e o respeito”, justificou Valle.



    Por Gustavo Aguiar e Gabriel Luiz, G1 DF

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.