Nove mil pessoas concorrem a 708 vagas para trabalhar no Hospital Base - Blog do Chiquinho Dornas

NEWS



terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Nove mil pessoas concorrem a 708 vagas para trabalhar no Hospital Base

Os aprovados devem começar as atividades no hospital no final de março: foco na emergência e na abertura de leitos(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

Mais de 3 mil pessoas se inscreveram para concorrer a 128 cargos de enfermeiro - 24 candidatos por vaga. A lista com os aprovados será divulgada até 26 de março

*Por Otávio Augusto
Nove mil pessoas participaram do processo seletivo do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal (IHBDF), concorrendo a 708 vagas. As provas foram aplicadas no último domingo (25/2) pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). A abstenção geral foi de 12% — 1,2 mil candidatos não compareceram. Os salários chegam a R$ 16 mil.

Treze pessoas foram eliminadas por problemas de não cumprimento das regras do edital, relacionadas a equipamentos eletrônicos. A lista dos aprovados deve ser divulgada entre 22 e 26 de março. Os aprovados devem começar as atividades no IHBDF no fim de março. Ao todo, 10.257 pessoas se inscreveram no processo seletivo. 

Para se ter dimensão da concorrência, 3.072 pessoas se inscreveram para concorrer a 128 cargos de enfermeiro — 24 candidatos por vaga. Para técnicos de enfermagem, 6.768 inscritos disputam 477 vagas — uma para cada 14 pessoas. 

Para médicos, os salários iniciais variam entre R$ 13 mil e R$ 16 mil, em regime de 40 horas. Enfermeiros que trabalham 20 horas semanais receberão R$ 2,2 mil. Os técnicos de enfermagem ganharão R$ 1,3 mil. 
Após a reforma administrativa, os funcionários passaram a ser admitidos com base no regime da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), ou seja, não serão concursados. Os primeiros contratados ocuparão vagas de médicos — nas áreas de anestesia, cirurgia de trauma, emergência, clínica médica e nefrologia —, enfermeiros e técnicos em enfermagem. 

Abertura de leitos 
Ismael Alexandrino, diretor do Base: "No primeiro mês a população sentirá os primeiros efeitos das contratações"(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

O diretor presidente do IHBDF, Ismael Alexandrino, explica que, já no primeiro mês, a população sentirá os efeitos das contratações. “Nossa ideia é manter mais médicos no atendimento do pronto-socorro e reativar 35 leitos”, adianta. Outra medida é diminuir o número de horas-extras, que chegam a custar R$ 1 milhão. 

Parte dos contratados substituirá os 501 servidores públicos que pediram para serem transferidos para outras unidades quando o IHBDF passou a funcionar, em 16 de janeiro. Dos 3,2 mil funcionários, 2,7 mil optaram por permanecer na maior unidade de saúde da capital federal. O hospital funcionará com orçamento semelhante ao de 2016: R$ 602 milhões.

A previsão é de que mais processos seletivos sejam lançados ainda este ano para o instituto, com a possibilidade de contratar cerca de 300 profissionais. Dessa vez, serão chamados fisioterapeutas, nutricionistas e técnicos da área administrativa. Os números e as datas dos próximos processos ainda não foram definidos. A expectativa é de que saia no fim do primeiro semestre.

Metas de atendimento 
A reforma administrativa que criou o Instituto Hospital de Base não modifica as regras de assistência aos pacientes. As políticas públicas continuam sendo definidas pela Secretaria de Saúde e pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Base segue público e gratuito. A unidade é referência nas áreas de trauma, cardiologia, oncologia e neurocirurgia.

A Secretaria de Saúde criou o IHBDF com o objetivo de dar mais eficiência e qualidade, com otimização dos custos e dos processos de compra de insumos e contratação de serviços e profissionais. Em média, o hospital terá de aumentar os atendimentos em 20%. 


(*) Otávio Augusto – Fotos: Minervino Junior/CB/D.A.Press – Correio Braziliense






Nenhum comentário:

Postar um comentário