Igrejinha recebe caderno com orientações para revitalização, nesta quarta-feira - Blog do Chiquinho Dornas

NEWS



test banner
test banner

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Igrejinha recebe caderno com orientações para revitalização, nesta quarta-feira

Igrejinha recebe caderno com orientações para revitalização, nesta quarta-feira. Iphan entrega, nesta quarta-feira (22/9), ao gestor do prédio histórico, um caderno de recomendações sobre o estado de conservação. A primeira melhoria será a troca das portas de madeira por modelos de metal. Reforma deve ser concluída até dezembro de 2022 Para frei Reinaldo, o documento mostra necessidades estruturais do local 

Com o intuito de garantir a conservação da Igreja Nossa Senhora de Fátima, conhecida com Igrejinha, na Entrequadra 307/308 Sul, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entrega, nesta quarta-feira (22/9), às 10h, ao frei Reinaldo dos Santos Pereira, pároco e gestor do templo, o caderno de recomendações técnicas do órgão. A ação faz parte da campanha Preservando Brasília, lançada pelo Iphan em março de 2020, com o objetivo de conscientizar e sensibilizar os gestores para a manutenção preventiva de bens culturais acautelados pelo Governo Federal.


A primeira intervenção será a mudança da porta. Atualmente, é de madeira e vai ser de metal, para garantir mais segurança. “Infelizmente, as pessoas esperam cair para fazer a reconstrução. Essa ação é a preservação do bem, para que, por meio dos reparos, ele esteja sempre conservado. A gente chama o gestor, e eles nos apresentem um plano de ação e damos todo o auxílio necessário para que os reparos sejam feitos, sempre respeitando o patrimônio histórico”, explicou Saulo Diniz, superintendente do Iphan no DF.

De acordo com Saulo, a Igrejinha apresenta sinais evidentes da passagem do tempo. A fachada do monumento possui fissuras, o painel interno tem marcas aparentes de desgaste, além de fendas, descascamento, marcas de umidade e arranhões em toda a sua estrutura. Ao todo, foram 17 observações sobre pontos que precisam de reforma na área externa — que vão além da estrutura da Igrejinha e abrangem o espaço em volta, como a Praça do Bem. Na parte interna, foram 11 sugestões de reparo.

Para o frei Reinaldo, o caderno representa as necessidades e as demandas de toda a comunidade. “Depois dos últimos arrombamentos, começamos um diálogo com o Iphan, apresentamos a situação, as demandas e a vulnerabilidade da Igrejinha. O caderno é um fruto amadurecido desse diálogo”, afirmou o sacerdote. Uma das maiores motivações do frei é garantir mais segurança para o templo, alvo frequente de furtos. “Essa ação representa muito para toda a comunidade de Brasília. É um marco da Igrejinha e da história de Brasília. A Igrejinha não é da Arquidiocese, não é do GDF (Governo do Distrito Federal), é um bem nosso e precisamos preservar e cuidar”, destaca frei Reinaldo.


Após a troca das portas, será feita a pintura da igreja, a reforma dos bancos genuflexórios e outros reparos gerais. Colaborando com o Iphan, o frei Renaldo e a Arquidiocese de Brasília desenvolveram um plano de ação que prevê a execução e a entrega dos serviços à comunidade até dezembro de 2022. O projeto prevê, ainda, a adequação do sistema elétrico e a revitalização das janelas. As obras na área externa serão feitas pelo GDF, e as da área interna ficam sob responsabilidade da arquidiocese.


História: Projetada por Oscar Niemeyer, a Igreja Nossa Senhora de Fátima é o primeiro templo em alvenaria erguido em Brasília e consolidado como importante marco da arquitetura moderna do país. A Igrejinha foi construída e inaugurada em 1958, antes da inauguração da capital federal. A famosa fachada adornada com azulejos, foi feita por Athos Bulcão.


A Igrejinha faz parte do Conjunto Urbanístico de Brasília. Tombada provisoriamente em 2007, só foi oficializado como patrimônio histórico em 2017, como parte do conjunto das obras de Oscar Niemeyer, inscrita no Livro do Tombo das Belas Artes. No entanto, com o passar dos anos, passou a incorporar marcas temporais e degradações.


Renata Nagashima – Fotos: Carlos Vieira/CB/D.A Press – Correio Braziliense


 


Nenhum comentário:

Postar um comentário