• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • quinta-feira, 22 de outubro de 2015

    #Diversão: Para curtir a festa antes das chuvas

    A praça é nossa une food trucks, cerveja artesanal e rock roll em frente ao Memorial JK

    Espaços públicos da cidade cada vez mais são ocupados pelos brasilienses, que lotam eventos ao ar livre

    Nos últimos anos, os espaços vazios tão característicos de Brasília têm sido ocupados por eventos sob o céu da cidade. Música, cinema e gastronomia saíram do conforto e da monotonia dos bares, restaurantes e teatros para ganhar as ruas. Do Parque da Cidade até os jardins do Centro Cultural Banco do Brasil, a cidade é do povo.

    Que o calor e a seca fazem o morador de Brasília sofrer é inegável, mas esse clima é perfeito para celebrações ao ar livre, principalmente à noite. Neste sábado, a Ilha do Parque, no Parque da Cidade, receberá o Festival das Flores, evento que pretende trazer de volta à cidade o espírito holístico das décadas de 1960 e 1970. “Queríamos fazer um festival que fosse à noite, mas que tivesse uma pegada desses eventos diurnos. A ideia é uma contraposição a uma série de eventos mais pesados de Brasília. Trazer uma leveza para noite”, conta Eli Moura, uma das idealizadoras do festival.

    O line-up conta bandas de rock psicodélico e setentista, como a Almirante Shiva, Lista de Lily, Alarmes e Peixefante. Além do show de bandas, o evento contará com DJs e um bar que servirá drinques e bebidas não alcoólicas. Segunda Eli, a escolha de levar o festival para o parque surgiu da necessidade de torná-lo mais acessível ao grande público. “O processo de fazer um evento no parque é bem tranquilo, a administração está muito disposta a te ajudar, até porque lá é um ponto tradicional em Brasília para esse tipo de evento.”

    Com mais de 2,5 mil pessoas confirmadas no evento criado nas redes sociais, a festa, apesar de ainda estar em sua primeira edição, chamou a atenção do público da cidade. Aqueles que tiverem flores estampadas em qualquer item de vestimenta, “pessoas floridas”, nas palavras de Eli, ganharão desconto no valor da entrada.

    Ponto de encontro
    Há três anos, o produtor Sandro Biondo criou a festa Mimosa, uma iniciativa que surgiu a partir da ideia de oferecer a Brasília opções de lazer gratuitas que saíssem da programação usual da cidade. “A gente captou uma demanda do brasiliense de ter um ponto de encontro. A cidade tem lugares infinitos e nós começamos a explorar esse potencial”, conta.

    Segundo o produtor, o movimento ao ar livre na capital está entre os maiores do país. A criação da Mimosa foi um dos marcos dentro do panorama de festas brasilienses, uma vez que o sucesso da iniciativa abriu caminhos para outros empreendimentos do tipo. “Rio de Janeiro tem praia, São Paulo é uma megalópole e Brasília é a cidade da festa na rua”, afirma.

    Atualmente, a Mimosa tem dois tipos de edições, diurna e noturna, e cada uma apresenta características específicas. A Mimosa dia é sempre gratuita, com barracas de exposição para artistas e lojistas locais, e um bar organizado pela produção do evento. A Mimosa noite mantém a leveza característica da edição diurna e também traz a MPB como carro-chefe da trilha sonora. No entanto, a festa é normalmente realizada em estabelecimentos privados.

    Frequentador assíduos de eventos a céu aberto na cidade, o publicitário Lucas Mansur, 26 anos, diz que essas festas combinam com a cidade e seus moradores, mas admite que a organização ainda deixa a desejar. “A tendência é que, com o tempo, o público diminua em eventos específicos porque as opções têm aumentado. E os próprios organizadores aprenderão a lidar melhor com os problemas que surgem ao se fazer um evento na rua.” Opinião parecida tem a nutricionista Tatiane Teixeira, 26 anos. De acordo com ela, o brasiliense tem hoje mais opções para sair e chance de explorar diferentes espaços da cidade. “Seria legal ver eventos em mais lugares diferentes como a Praça dos Cristais e a Península”, afirma.

    Eixo Monumental
    Em agosto deste ano, a Praça do Cruzeiro recebeu a primeira edição do evento A praça é nossa. Food trucks, cerveja artesanal e música ao vivo são os principais atrativos do projeto. A organização também fica por conta da organização de banheiros químicos e da segurança privada para o público.

    Em 30 de outubro, A praça é nossa realizará a edição especial Oktoberfest, que começará às 17h30. A música será garantida pelas bandas Mother, do estilo grunge, o Bloco do Sargento Pimenta e Classic Rock, uma banda cover de grupos como AC/DC e Led Zeppelin.

    Neste domingo, a Torre de TV receberá o Dança charme é bom demais, projeto que busca introduzir a cultura black no cotidiano do público de Brasília. Durante o evento, serão arrecadadas doações de alimentos não perecíveis que serão enviados a creches, orfanatos e centros de recuperação para dependentes químicos.

    “Como os bailes charmes em Brasília são muito escassos, muitas vezes as pessoas não sabem o que é o charme em si. A Torre é o lugar perfeito para mostrar essa cultura, temos muito turistas, muita gente de Brasília que vai lá e, neste fim de semana, vão conhecer melhor esse estilo”, explica Petrônio Paixão, idealizador do evento.

    Programe-se

    Festival das Flores
    Ilha do Parque, Parque da Cidade (estacionamento 10). Amanhã, a partir das 22h. Entrada até 1h a R$ 15 (pessoas com flores na vestimenta), R$ 25 (pessoas sem flores). Após 1h: R$ 30 (preço único). Não recomendado para menores de 18 anos.

    Federal Music
    Orla da Concha Acústica (SHTN, Tc. 2). Amanhã, a partir das 14h. O maior festival de música eletrônica do centro-oeste traz no seu line-up Nicky Romero, Alok, Kolombo, Vintage Culture, Marcelo Cic, Mario Fischetti, Soldera, entre outros. Ingressos a R$ 200 (inteira, pista) R$ 100 (meia, pista). Área VIP R$ 340 (inteira, homem), R$ 170 (meia, homem), R$ 300 (inteira, mulher). R$ 150 (meia mulher). Pontos de venda: Mormaii (Brasília Shopping, Conjunto Nacional, Pátio Brasil e Pontão). Zimbrus (SCL Qd 305, Bl D; Av. Araucárias 1325, Águas Claras e Píer 21). Não recomendado para menores de 18 anos.

    Dança charme é bom demais
    Torre de TV (Eixo monumental). Domingo, das 16h às 21h. Entrada 1kg de alimento não perecível. Classificação indicativa livre.

    A praça é nossa
    Praça do Cruzeiro (Eixo Monumental). Em 30 de outubro, a partir das 17h30. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

    Mimosa
    Centro Cultural Banco do Brasil (SCES, Tc. 2, Cj. 22; 3108-7600). Em 31 de outubro, a partir das 14h. Entrada gratuita. Classificação indicativa livre.

    Marcelo Jeneci
    Arena Futebol Clube (SCES Trecho 3, Conjunto 7, Lote 01, s/n – Asa Sul, Brasília/DF). Em 6 de novembro, às 22h. Marcelo Jeneci apresenta o show de lançamento do álbum De graça. O evento ainda contará com a participação dos DJs New Chicks On The Block e Maraskin. Ingressos a R$ 30 (meia). Valor de primeiro lote. Não recomendado para menores de 18 anos.

    Festival Internacional da Diáspora Africana
    Museu Nacional da República (Esplanada dos Ministérios). Em 28 e 29 de novembro.
    Entrada franca.

    Fonte: Correio Braziliense – Foto: Henrique Froçois/Divulgação

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.